Reino Protista

A0a1901fd531714ccd307cb0e462cc89?s=47 Aula Zen
September 20, 2014

Reino Protista

Os protistas são os protozoários e as algas unicelulares pluricelulares

A0a1901fd531714ccd307cb0e462cc89?s=128

Aula Zen

September 20, 2014
Tweet

Transcript

  1. None
  2. Reino Protista 1) Introdução O Reino Protista engloba um grupo

    bastante heterogêneo de seres vivos, incluindo cerca de 40 mil espécies. Pertencem ao Reino Protista:  Algas unicelulares  Algas pluricelulares  Protozoários
  3. Reino Protista 2) Características Gerais dos Protistas  Morfologia: o

    Todos Eucariontes. o Núcleo com membrana nuclear ou carioteca. o Citoplasma com todas as organelas celulares. o Uni ou pluricelulares. o Parede celular presente em alguns, que pode ser formada por: pectina, sílica ou celulose. o Os protistas pluricelulares não formam tecidos verdadeiros.  Habitat: (Maioria aquático) o Marinho o Água doce  Nutrição: o Heterótrofos (Ex: Paramecium sp.) o Autótrofos (Ex: Algas verdes) o Alguns são Mixotróficos - Alternam entre os dois modos de nutrição (Ex: Euglenas)  Obs.: Alguns são parasitas, habitando fluídos corporais de outros organismos.
  4. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Todos Fotossintetizantes Algas Unicelulares 1.

    Euglenas 2. Dinoflagelados 3. Diatomáceas 4. Algas Douradas Algas Pluricelulares 1. Algas Verdes 2. Algas Pardas ou Marrons 3. Algas Vermelhas
  5. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 1) Filo Euglenophyta

    (Euglenas)  Dulcícolas (vivem em água doce rica em matéria orgânica e inorgânica).  Flageladas (possuem dois flagelos, um rudimentar “não visível” e outro emergente e visível).  Apresentam uma película envolvendo a membrana celular bastante flexível.  Possuem uma estrutura próximo ao flagelo (estigma) responsável pela percepção luminosa.  Possuem vacúolo contrátil ou pulsátil, o qual é responsável pelo equilíbrio osmótico das Euglenas.  Nutrição do tipo mixotrófica, pode atuar tanto como autótrofo (sintetizando glicose através da fotossíntese) como heterotrófico (capturando partículas alimentares no meio através de uma pequena abertura na base do flagelo).  Reprodução: Divisão binária
  6. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 1) Filo Euglenophyta

    (Euglenas) Flagelo Vestigial Nucléolo Vacúolo Contrátil Película Cloroplasto Núcleo Estigma Flagelo Assistir ao vídeo
  7. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 2) Filo Dinophyta

    ou Dinoflagelados (Algas de fogo)  Marinhas (constitui parte importante do fitoplâncton oceânico).  Flageladas (possuem dois flagelos).  Os flagelos localizam-se em sulcos e as algas se movimentam “como um pião”.  Muitas possuem uma carapaça celulósica, que além de protegê-las atua como órgão flutuador em mares abertos.  Muitos são endossimbiontes, pois vivem em mutualismo no interior de vários invertebrados, como os corais, águas-vivas, anêmonas-do-mar, esponjas, etc.  Quando são endossimbióticas, recebem a denominação de zooxantelas.  Nutrição do tipo mixotrófica.  São responsáveis pela liberação de substâncias tóxicas nos oceanos, causando a morte de outros organismos, relação denominada amensalismo e o fenômeno Maré Vermelha.
  8. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 2) Filo Dinophyta

    ou Dinoflagelados (Algas de fogo) Sulco Flagelo Carapaça celulósica Assistir ao vídeo
  9. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 3) Filo Bacillariophyta

    ou Diatomáceas  Marinhas (vivem principalmente em mares de águas frias)  São responsáveis por 25% da produtividade primária total ta Terra.  Muitas possuem parede celular dividida em duas metades (frústulas), constituídas de sílica.  As carapaças, por serem resistentes à decomposição, se depositam no assoalho oceânico, formando após milênios, uma rocha porosa, denominada diatomito.  Os diatomitos são utilizados na indústria para a fabricação de isolante elétrico, creme dental, filtros e lixas.  Apresentam o pigmento fucoxantina (carotenóide marrom dourado).  Nutrição: Mixotróficas  Reprodução: Divisão binária ou sexuada.
  10. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 3) Filo Bacillariophyta

    ou Diatomáceas . Assistir ao vídeo Formas variadas
  11. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Unicelulares 4) Filo Chrysophyta

    (Algas Douradas)  Habitat: Marinho e Água doce.  Podem viver isoladas ou formar colônias.  Possuem pigmento marrom-amerelado (fucoxantina).  Parede celular formada por sílica.  Podem possuir um ou mais flagelos  Reprodução: Divisão binária ou sexuada. Assistir ao vídeo
  12. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Pluricelulares 1) Filo Chlorophyta

    (Algas Verdes)  Maioria das espécies são pluricelulares.  Habitam ambiente marinho e água doce.  Não formam tecidos verdadeiros, mas já há divisão de trabalho entre as células.  Importância: Podem viver em mutualismo com fungos formando os líquens. Outras podem vivem no citoplasma de células animais, principalmente de cnidários de água doce no gênero Hydra.
  13. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Pluricelulares 2) Filo Phaeophyta

    (Algas Pardas)  Habitam ambiente marinho.  Comum em águas temperadas e polares.  Coloração marrom provém do pigmento (Fucoxantina).  Reprodução pode ser sexuada e assexuada.  Importância: A parede celular é composta por celulose e pelo polissacarídeo algina (mucilagem) A algina é utilizada nas indústrias alimentícia (sorvetes) e de cosméticos (cremes).
  14. Reino Protista 3) Protistas Autótrofos Algas Pluricelulares 3) Filo Rhodophyta

    (Algas Vermelhas)  Habitam ambiente marinho.  Comum em águas tropicais (quentes).  Coloração marrom provém do pigmento (Ficoeritrina).  Reprodução: sexuada e assexuada.  Importância: A parede celular é composta por celulose e os polissácarídeos ágar e carragena. O ágar é usado em laboratório para a confecção de meios de cultura para o crescimento de fungos e bactérias.
  15. Reino Protista 4) Reprodução a) Reprodução Assexuada Divisão binária: Uma

    célula origina dois novos indivíduos. Divisão binária de um Euglenóide. Divisão binária de uma diatomácea.
  16. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada I. Haplobionte 

    A meiose ocorre no zigoto (2n), produzindo células haplóides (n).  O organismo adulto é haplóide (n), que por mitoses produz gametas também haplóide (n). Fusão Zigoto Células Haplóides (n) Meiose Gametas n n 2n Adulto Haplóide (n) Meiose Zigótica A meiose ocorre no zigoto formando adultos (n)
  17. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada II. Diplobionte 

    O organismo adulto é diplóide (2n) que, por meiose (gamética) origina gametas (n)  Os gametas se unem (fecundação) e surge o zigoto, que através de sucessivas mitoses origina o indivíduo adulto. Fusão Zigoto Adulto diplóide (2n) Meiose Gametas n n 2n Meiose Gamética A meiose ocorre no adulto (2n) originando gametas (n)
  18. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada III. Haplodiplobionte 

    A meiose ocorre no adulto diplóide (2n) formando esporos (n).  Os esporo origina o organismo adulto haplóide (n).  O adulto haplóide por mitose forma os gametas (n).  Tipo de reprodução de todas as plantas, maioria dos fungos e algas. Fusão Zigoto Adulto diplóide (2n) Meiose Gametas n n 2n Meiose Espórica A meiose ocorre no indivíduo adulto (2n) originando esporos (n) Esporos (n) Adulto Haplóide(n)
  19. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada Qual é o

    tipo de reprodução? Meiose Zigótica Adulto Haplóide Haplobionte!!!
  20. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada Qual é o

    tipo de reprodução? Meiose ocorre no indivíduo adulto (2n) Formando esporos (n) Então este indivíduo é o esporófito (2n) E estes são os indivíduos haplóides gametófitos (n) A reprodução é do tipo Haplodiplobionte Se há uma fase haplóide e outra diplóide então...
  21. Reino Protista 4) Reprodução b) Reprodução Sexuada Qual é o

    tipo de reprodução? Meiose A meiose ocorre no indivíduo (2n) para formar gametas. (Meiose Gamética) Os indivíduos adultos são diplóide (2n) Ciclo: Diplobionte
  22. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos Alimentam-se de matéria orgânica já

    pronta. Protozoários
  23. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos Características Gerais dos Protozoários 

    São representados por cerca de 60 mil espécies  Todos são unicelulares  Todos heterotróficos  Habitam os mais variados ambientes (solos úmidos, águas doce ou salgada, interior de outros seres vivos como simbiontes ou parasitas).  Os protozoários parasitas possuem grande importância médica e veterinária pois são agentes causadores de várias doenças no homem e nos animais.  Suas células realizam todas as funções vitais como: locomoção, digestão, excreção, respiração e reprodução.  Reprodução: Assexuada (mais comum) e Sexuada.
  24. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos Classificação dos Protozoários 1. Filo

    Sarcodina ou Rhizopoda  Locomovem-se através de pseudópodos ou falsos pés  Exemplo: Entamoeba histolytica (Amebas) 2. Filo Mastigophora ou Flagellata  Locomoção por meio de flagelos.  Exemplo: Trypanosoma cruzi 3. Filo Ciliophora ou Ciliata  Deslocam-se através de cílios  Exemplo: Paramecium caudatum 4. Sporozoa  Não apresetam estruturas locomotoras  Exemplo: Plasmodium vivax.
  25. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 1. Sarcodina ou Rhizopoda (Amebóides)

     Emitem expansões citoplasmáticas denominadas pseudópodes (falsos pés), que serve para a locomoção e também para a captura alimentos (fagocitose).
  26. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 1. Sarcodina ou Rhizopoda (Amebóides)

    Principais Estruturas Celulares: a) Membrana Plasmática b) Carapaça externa (presente em algumas espécies) c) Citoplasma (contendo vacúolo contrátil) d) Presença de núcleo verdadeiro (eucariontes) Carapaça externa formada por sílica Pseudópodes Tecameba Ameba
  27. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 1. Sarcodina ou Rhizopoda (Amebóides)

    Principais Representantes  Amoeba proteus: vida livre em água doce  Entamoeba coli: Comensal do intestino humano  Endolimax nana: Comensal do intestino grosso humano  Entamoeba histolytica: Parasita do intestino humano, causa uma doença denominada amebíase. Vídeo Entamoeba Histolytica
  28. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 2. Mastigophora ou Flagellata (Flagelados)

     Protozoários que se locomovem por meio de flagelos  Geralmente há um ou dois flagelos, mas algumas espécies apresentam dezenas.  Os flagelos funcionam na locomoção, na captura de alimentos e, em alguns casos, como receptores sensitivos.  Morfologia da célula: Variada (oval, alongada ou esférica).  Modo de vida: Solitário ou colonais.  Habitat: Água doce, Água salgada, ou dentro de outros organismos (parasitas).  Reprodução: Geralmente Assexuada. Trypanosoma cruzi Flagelo
  29. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 2. Mastigophora ou Flagellata (Flagelados)

    Principais Representantes:  Trypanosoma cruzi: Parasita intracelular das fibras musculares e sistema nervoso (causador da doença de Chagas).  Giardia lamblia: Parasita intestinal dos humanos.  Trichomonas vaginallis: Parasita do canal vaginal e da uretra.  Leishmania brasiliensis: Parasitas intracelulares dos macrófagos, pele e tecido subcutâneo. Giardia lamblia Video mostrando Trichomonas Vaginalis
  30. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 3. Ciliophora ou Ciliata (Ciliados)

    Características Importantes:  É o grupo com maior número de espécies.  Modo de vida: Vida livre  As células são revestidas com cílios, os quais servem para locomoção e captura de alimento.  A características comum dos ciliados é a presença de dois núcleos, o macronúcleo (maior) que comanda o metabolismo e o micronúcleo (menor), responsável pela reprodução.  Reprodução: sexuada (conjugação) e assexuada (divisão binária).  Poucas espécies são parasitas.  Alguns ciliados vivem no tubo digestivo de ruminantes, como bois, carneiros, cabras, etc., auxiliando a digestão da celulose (mutualismo).
  31. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 3. Ciliophora ou Ciliata (Ciliados)

    Principais Representantes:  Paramecium caudatum (vida livre)  Balantidium coli: parasita do intestino grosso de suínos e seres humanos. Paramecium (figura)  Cílios revestindo toda a célula.  Notar a presença dos dois núcleos.  O vacúolo contrátil ou pulsátil.  Vacúolos digestivos.
  32. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 4. Sporozoa (Esporozoários) Características Importantes:

     Sem organela de locomoção  Todos são parasitas  Possuem em alguma fase da vida, uma estrutura celular chamada complexo apical.  O complexo apical desempenha a função de penetrar em células hospedeiras.  Nutrição: Absorção de moléculas orgânicas retiradas do organismo hospedeiro. Principais Representantes:  Toxoplasma gondii: parasita de vários tecidos e aves e mamíferos, causador da toxoplasmose.  Plasmodium sp: parasita tecidual e intracelular de humanos e causador da malária.
  33. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 4. Sporozoa (Esporozoários) Características Importantes:

     Sem organela de locomoção  Todos são parasitas  Possuem em alguma fase da vida, uma estrutura celular chamada complexo apical.  O complexo apical desempenha a função de penetrar em células hospedeiras.  Nutrição: Absorção de moléculas orgânicas retiradas do organismo hospedeiro. Principais Representantes:  Toxoplasma gondii: parasita de vários tecidos e aves e mamíferos, causador da toxoplasmose.  Plasmodium sp: parasita tecidual e intracelular de humanos e causador da malária.
  34. Reino Protista 5) Protistas Heterotróficos 4. Sporozoa (Esporozoários) Não possui

    nenhuma estrutura locomotora Complexo Apical Desempenha papel importante na penetração desses protozoários nas células hospedeiras
  35. Reino Protista Exercícios de fixação

  36. Reino Protista 6) Exercícios Fuvest-SP (Adaptada) a) Em qual etapa

    ocorre a meiose? b) Qual organismo é o Gametófito? Etapa II Organismo B
  37. Reino Protista 6) Exercícios Na geração alternante esquematizada a seguir,

    as estruturas I, II, III e IV correspondem a: I) II) III) IV) V) n n n n n n n n n n 2n n I II III IV V Gametófito Gametas Zigoto Esporófito Esporos 2n 2n 2n 2n
  38. Reino Protista 6) Exercícios Compare um protozoário, por exemplo, um

    paramécio, com uma célula epidérmica de metazoário (animal multicelular) quanto à complexidade, ao número de organelas e à especialização, ou seja, o quanto é capaz de desempenhar uma função específica. A relação correta é que a célula do: a) Protozoário é menos complexa, possui menos organelas e é menos especializada. b) Protozoário é mais complexa, possui mais organelas, porém, é menos especializada. c) Metazoário é mais complexa, possui mais organelas e é mais especializada. d) Metazoário é mais complexa, porém possui menos organelas e é mais especializada. Células epidérmicas de metazoários. Resposta: letra b
  39. Reino Protista 6) Exercícios Resposta: letra A