Upgrade to Pro — share decks privately, control downloads, hide ads and more …

Para além do Racional vs. Emocional (Nós.vc)

35f0a285fbf11a7155bb23695c5a270e?s=47 Eduardo Cuducos
December 17, 2012
38

Para além do Racional vs. Emocional (Nós.vc)

O programa do curso está em http://j.mp/T5z4wc

(Atualizado en m 2014.)

35f0a285fbf11a7155bb23695c5a270e?s=128

Eduardo Cuducos

December 17, 2012
Tweet

Transcript

  1. Para além do Racional vs. Emocional Eduardo Cuducos http://about.me/cuducos

  2. Intepretar Compreender Explicar Entender

  3. If I had asked people what they wanted, they would

    have said faster horses. Henry Ford
  4. Few are capable of being great. The rest need to

    follow methods guaranteed to produce the good. Don Norman
  5. Design Thinking a not-so-secret truth about «design thinking» is that

    a big chunk of it is actually «social science thinking» Peter Merholz
  6. None
  7. None
  8. Sociologia Sociology is about studying social relations, not society David

    Stark
  9. None
  10. Ivan Martins Da minha parte, confesso que fiquei desapontado ao

    conversar com as amigas. Eu enxergo uma conexão nítida entre essa maneira de olhar agressiva dos homens e outros tipos de comportamentos mais invasivos, como dizer grosserias para as mulheres na rua ou pegar no corpo delas na balada, forçando a barra.
  11. Ivan Martins Muitas mulheres vibram e se excitam com qualquer

    atenção masculina, mesmo tosca ou indesejada. Isso está na cultura. Boa parte das meninas brasileiras são educadas desde cedo para serem bonitas, sensuais, sedutoras de tempo integral. Isso vira um valor, que determina aspectos cruciais da auto-estima e do comportamento adulto delas. Ser percebida como uma mulher bonita pode ser mais importante do que quase tudo.
  12. Ivan Martins Isso vai ser sempre assim? Acho que não.

    Tenho a impressão de que há novos sentimentos emergindo. Os valores pessoais e coletivos estão em transformação. O movimento Barbie das mulheres lindas acima de tudo convive com o bloco das mulheres independentes e poderosas, que não se interessam apenas em ser bonitas.
  13. Instituições Indivíduos

  14. Intepretar Compreender Explicar Entender

  15. Análise Pesquisa Resultado ‣Entrevistas ‣Observação ‣Secundária ‣Etc… ‣Modelos ‣Guias ‣Inspiração

    ‣Etc… Dar sentido às informações coletadas!
  16. Juca Kfouri Verissimo também tinha de escrever sua coluna dominical

    e topou na hora. Lá fomos nós, calados, como convinha. Fui pensando em como começar uma conversa e, depois de pedir o jantar, perguntei, pedindo que fosse bem honesto, se ele acreditava no chavão que nos ensinaram desde criança, de que o trabalho é quase sempre 90% de transpiração e apenas 10% de inspiração.
  17. Juca Kfouri Monossilabicamente, Verissimo respondeu que sim, que tinha de

    se esforçar muito para escrever, que sofria no ato de redigir. Jantamos praticamente em silêncio. Nos despedimos nas portas de nossos quartos, parede a parede. Pus papel na máquina de escrever e fiquei contemplando aquele branco angustiante.
  18. Juca Kfouri Eis que, incontinente, ouço um disparar de teclado

    no quarto ao lado. Era mesmo como se fosse uma metralhadora. Foi coisa de dez minutos ininterruptos, ao cabo dos quais pude ouvir o barulho de uma torneira aberta e da escova de dentes batida na pia. Dei um tempinho, bati na porta do quarto de Verissimo, e ele a abriu, já de pijamas.
  19. Juca Kfouri Não tive dúvidas. Chamei-o de mentiroso e prometi

    que ele teria muita dificuldade para dormir, porque eu batucaria na máquina até umas quatro da matina.
  20. Juca Kfouri Ele tentou se desculpar, disse que não tinha

    mentido nada, que na verdade ficava tão calado porque vivia escrevendo mentalmente, razão pela qual, quando se sentava diante da máquina, o texto fluía com aparente facilidade. Eu não acredito. E até hoje o tenho na conta de mentiroso. Genial mentiroso.
  21. Tempo escrevendo Tempo pensando

  22. ‣Tangibilidade ‣Visibilidade ‣Mobilidade … organização!

  23. ‣Agrupar ‣Relacionar ‣História ‣Modelos … e testar!

  24. Jeff Robbin, lead software designer for iTunes and the iPod

    I remember sitting with Steve and some other people night after night from nine until one, working out the user interface for the first iPod. It evolved by trial and error into something a little simpler every day. We knew we had reached the end when we looked at each other and said, "Well, of course. Why would we want to do it any other way?"
  25. un système solidaire de croyances et de pratiques relatives à

    des choses sacrées, c'est-à-dire séparées, interdites, croyances et pratiques qui unissent en une même communauté morale Émile Durkheim Tribos (ou neotribos) Michel Maffesoli ‣Totens similares à religião ‣Normalização através da ética e da estética
  26. De Vaus Guidelines provided here are not meant to be

    prescriptive. The guidelines I describe are like signpost or a map to provide some direction and give us clues as to where to go when we get lost. As you become more familiar with territory you can manage more easily without the map and learn short cuts. You should not try to follow each step slavishly. Use the method: do not let it use you.
  27. Max Weber ✰1864 ✞1920

  28. 0 Émile Durkheim Indivíduos Instituições Max Weber

  29. Tipologia da ação: ‣Racional referente a fins ‣Racional referente a

    valores ‣Afetivo ‣Tradicional Tipologia de poder: ‣Legal ‣Tradicional ‣Carismático «Só muito raramente a ação orienta-se exclusivamente de uma ou outra destas maneiras»
  30. Sem dúvida o espírito capitalista estava presente antes de uma

    ordem capitalista A diferença essencial é que uma ética baseada na religião coloca determinadas sanções psicológicas (não de caráter econômico) na manutenção das atitudes que ela prescreve. Apenas na medida em que essas sanções funcionam, e, acima de tudo, no sentido no qual funcionam, que é normalmente diferente das doutrinas dos teólogos, essa ética ganha uma influência independente na conduta de vida e, logo, na ordem econômica Max Weber Weber certamente é mais pessimista sobre os esforços de tentar melhorar o capitalismo do que Marx Gaye Tuchman
  31. None
  32. Pierre Bourdieu ✰1930 ✞2002

  33. Eu posso dizer que todo meu pensamento começa desse ponto:

    como pode o comportamento ser regulado sem ser produto da obediência a regras? Pierre Bourdieu
  34. ‣Diferentes capitais ‣Diferentes campos ‣Diferentes habitus A formulação conceitual de

    Bourdieu não coloca opõe indivíduo e sociedade como dois tipos diferentes de seres – um externo ao outro – mas os constrói de maneira relacional David Swartz financeiro, cultural, tecnológico, jurídico, organizacional, comercial, simbólico…
  35. + Capital econômico – Capital econômico + Capital cultural –

    Capital cultural Vincent Van Gogh Theo Van Gogh
  36. + Capital econômico – Capital econômico + Capital cultural –

    Capital cultural Professores universitários Funcionários públicos Jogadores de futebol Trabalhadores rurais Profissionais liberais Artistas
  37. + Capital tecnológico – Capital tecnológico + Capital comercial –

    Capital comercial
  38. ‣Importância da trajetória pessoal na formação do habitus (principalmente escola

    e família) ‣ Internalização e habitus como predisposição para ação (incluindo desvantagens estruturais)
  39. Por um lado, o habitus configura limites estruturais para a

    ação. Por outro, o habitus gera percepções, aspirações e práticas que correspondem às propriedades estruturantes da socialização anterior. A linguagem de «estruturas estruturadas» e «estruturas estruturantes» captura essas duas características centrais do habitus. David Swartz
  40. Michel Foucault ✰1926 ✞1984

  41. The sodomite had been a temporary aberration, the homosexual was

    now a species Michel Foucault
  42. ‣Indivíduo ou estrutura ‣Razão, motivação, intenção ‣Peculiaridades, acidentes, acontecimentos locais

    ‣Maneira específica como as coisas se tornam o que são
  43. We need a new critique of moral values, the value

    of these values themselves must be called into question – and for that there is needed a knowledge of the conditions and circumstances in which they grew, under which they evolved and changed Friedrich Nietzsche
  44. History is both contingent – yet sedimented. We got here

    by accident and where we are is not better that where we might have been otherwise, or where others are or could have been Michael Halewood
  45. ‣Discurso ‣Saber ‣Poder ‣Normal ‣Sexualidade ‣Hospitais ‣Prisões ‣(Escola)

  46. Mark Granovetter ✰1943

  47. Economics is all about how people make choices; sociology is

    all about how they don't have any choices to make James Duesenberry
  48. Mark Granovetter In the undersocialized account, atomization results from narrow

    utilitarian pursuit of self- interest; in the oversocialized one, from the fact that behavioral patterns have been internalized and ongoing social relations thus have only peripheral effects on behavior. Under- and oversocialized resolutions of the problem of order thus merge in their atomization of actors from immediate social context.
  49. Once we know in just what way an individual has

    been affected, ongoing social relations and structures are irrelevant. Social influences are all contained inside an individual's head Mark Granovetter
  50. A fruitful analysis of human action requires us to avoid

    the atomization. Actors do not behave or decide as atoms outside a social context, nor do they adhere slavishly to a script. Their attempts at purposive action are instead embedded in concrete, ongoing systems of social relations Mark Granovetter
  51. ‣Análise de redes ‣Força dos laços fracos ‣Getting a job

  52. ‣Análise de redes ‣Causalidade ‣The making of an industry

  53. Viviana Zelizer ?

  54. ? ‣Globalização ‣Homogeneização ‣Padronização ‣McDonaldização A closer look at how

    economic practices leads to a very different view: that precisely parallel processes operate within the economy as operate within other zones of cultural activity, such as politics, religion, language, or education. Viviana Zelizer
  55. At the same time that the government homogenized its currency,

    people and organizations invented new forms of monetary differentiation. Viviana Zelizer
  56. At the same time that the American economic machine was

    spewing out new standardized items, people were continually refashioning mass- product goods to create particularized products Viviana Zelizer
  57. The same currency, the same consumer product can have at

    the same moment universal and local meaning. Viviana Zelizer
  58. Eduardo Cuducos Economic processes can be analyzed from two different

    point of views: looking at it from the top, the process would seem homogenizing (usually with some coerciveness from a broad range of institutions, such as government or multinational companies), however, taking a look from the bottom (our case, from consumers) the same process would be seen as highly differentiating, personalizing and regionalizing. There is no contradiction in this process
  59. ‣Mundos hostis ‣Mercados múltiplos

  60. ‣Seguro de vida ‣Criança ‣Dinheiro ‣Intimidade

  61. Eduardo Cuducos «old enough»

  62. Eduardo Cuducos This theoretical framework rejects the Neo- Marxist approach,

    which overemphasizes the media, relegating individuals to a passive behavior, as it rejects the post- modern approaches, which considers consumption substantially based on its expressive and cultural capacities. “exploitative, alienating, modern, capitalist, and regarded as embodying selfish, dehumanizing and material values” Colin Campbell “fragmentation of culture and the increase importance of symbol over substance in everyday life” Colin Campbell
  63. obrigado Eduardo Cuducos http://about.me/cuducos

  64. crédito das imagens http://flickr.com/photos/9382228@N08 http://flickr.com/photos/29143375@N05 http://flickr.com/photos/76657755@N04 http://flickr.com/photos/a-mon http://flickr.com/photos/aardvarksalad http://flickr.com/photos/aaronpk.png http://flickr.com/photos/antichrist

    http://flickr.com/photos/baltic-development-forum http://flickr.com/photos/bastique http://flickr.com/photos/ensh http://flickr.com/photos/flurdy http://flickr.com/photos/frenkieb http://flickr.com/photos/ionics http://flickr.com/photos/jaips http://flickr.com/photos/jpcolasso http://flickr.com/photos/lydiashiningbrightly http://flickr.com/photos/mattimattila http://flickr.com/photos/pagedooley http://flickr.com/photos/palutke http://flickr.com/photos/quinet http://flickr.com/photos/rahul3 http://flickr.com/photos/stuartpilbrow http://flickr.com/photos/yourdon As demais são próprias ou tem direitos expirados