Como contratar software?

Como contratar software?

O investimento consciente faz você economizar.

6fba23932472b6763041f64a6f44138d?s=128

Sylvestre Mergulhão

September 04, 2012
Tweet

Transcript

  1. 2.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao O MERCADO Imaturo, Venda de forma prejudicial

    No processo tradicional o cliente exige que sejam fornecidos um prazo e um preço, a partir uma lista de requisitos que definem o escopo do projeto. Nesse modelo é comum o fornecedor fornecer a proposta baseada em premissas que ele mesmo definiu a partir do seu próprio entendimento do que foi escrito no escopo.
  2. 3.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao PREÇO, PRAZO E ESCOPO Preço e prazo

    a partir do escopo, Premissas sobre o escopo, Gordura no projeto ou prejuizo. É comum que algumas dessas premissas estejam erradas, já que existem diversas formas de se implementar uma mesma funcionalidade. O fornecedor então adiciona ao seu preço um valor adicional de margem de risco para tentar cobrir eventuais erros de estimativa que tenha tido. E aí duas coisas podem acontecer: 1) O cliente paga mais do que deveria pelo serviço, pois pagou pela gordura que não foi utilizada; 2) O fornecedor leva prejuízo, pois a gordura colocada no preço do projeto não foi suficiente para cobrir as discrepâncias.
  3. 4.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao DETALHAMENTO NA EXECUÇÃO DO PROJETO Na maior

    parte dos casos o prazo e preço são subestimados. No momento da execução dos serviços o cliente detalha o escopo e solicita mais funções, que do ponto de vista dele era uma interpretação do que estava escrito, mas do ponto de vista do fornecedor são mudanças no escopo.
  4. 5.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao O ESCOPO IRÁ MUDAR! Os contratantes e

    fornecedores de software precisam entender de uma vez por todas que se tem alguma coisa que é sempre comum em todos os projetos é que o escopo irá mudar. Vai mudar por que é software, é digital, é flexível, é maleável. Ele tem que mudar, o cliente precisa ter a flexibilidade para mudar, e a mudança não pode ser um problema.
  5. 6.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao UM NOVO APLICATIVO É COMO UMA CRIANÇA

    Nenhum ser humano é capaz de prever de antemão e com exatidão, o que será necessário desenvolver num software que demandará mais de 3 meses de desenvolvimento. Qualquer tentativa de elencar tudo que é necessário desenvolver é em vão. É como pedir para uma criança de 6 anos de idade escrever em uma folha de papel em branco tudo que ela vai precisar para a vida dela inteira. Ela não tem essa noção, pois ainda não explorou a vida.
  6. 7.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao DESENVOLVER SOFTWARE É DESCOBERTA Desenvolver software é

    um processo de descoberta, então a melhor coisa que se pode ter é a possibilidade de fazer escolhas sobre o que será desenvolvido após usar uma parte do sistema. Somente depois de experimentar na prática uma parte do sistema, é que as pessoas têm condição de definir o que é mais importante desenvolver naquele momento e dessa forma iterativa, reduzir o desperdício.
  7. 8.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao DESPERDÍCIO Como software é abstrato e, por

    exemplo, não sofre os limites da física, como numa construção tradicional, ele pode ser qualquer coisa. Por ter essa característica é comum que as pessoas sempre desejem que seus aplicativos tenham mais e mais e mais funcionalidades. Estatísticas do Standish Group. A melhor forma de administrar um projeto de software é rever permanentemente as prioridades do projeto e assegurar que apenas funcionalidades essenciais, isto é, que serão usadas de verdade, sejam colocadas no sistema. Só é possível saber quais são estas funcionalidades ao longo do desenvolvimento, enquanto o cliente aprende com o software que está sendo construído, especialmente quando o desenvolvimento é iterativo.
  8. 9.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao PREVISIBILIDADE EM SOFTWARE É ILUSÃO Esperar que

    uma solução necessariamente seja a mesma imaginada originalmente é pouco produtivo, porque raramente acontece. A possibilidade de aprender e aprimorar a solução não é algo ruim. Pelo contrário, é extremamente positivo, podendo significar economia de dinheiro e tempo tanto para o cliente, quanto para a empresa que faz o desenvolvimento.
  9. 10.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao TRABALHE COM RESTRIÇÕES Defina um budget e

    um prazo, mas não um escopo! Assim, permite-se que o escopo absorva as incertezas do projeto. Neste caso, o cliente continua sabendo o quanto irá gastar, bem como quanto tempo o projeto irá durar. O que ele não sabe com exatidão é o que irá receber. Mas, na verdade, ele não sabia disso no caso do contrato de escopo fixo, ele apenas tinha a ilusão de saber, a ilusão da previsibilidade do escopo. Portanto, ele não perdeu absolutamente nada, apenas assumimos uma relação contratual mais honesta e realista.
  10. 11.

    http://www.helabs.com.br @rafaelp @smergulhao SOFTWARE COMO INVESTIMENTO Software é como um

    investimento, provisione o retorno que ele irá gerar a você no longo prazo. Se o seu core-business é uma plataforma de software - ou seja: se seu produto É um software - se prepare, pois você precisará investir nele constantemente ao longo do tempo. Não espere que um dia ele “estará pronto”. Você sempre irá precisar evoluir ou simplesmente estará fora do mercado.