Upgrade to Pro — share decks privately, control downloads, hide ads and more …

Plataformização

 Plataformização

Apresentação feita para o grupo de orientandos do Programa de Pós-graduação em Ciências Humanas e Sociais da UFABC.

Taís Oliveira

June 23, 2022
Tweet

More Decks by Taís Oliveira

Other Decks in Research

Transcript

  1. Plataformização
    Thomas Poell
    David Nieborg
    José van Dijck
    Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos
    Unisinos / 2020
    -------
    Taís Oliveira
    Encontro de orientandos
    Prof. Dr. Claudio Penteado
    UFABC - 23/06/222

    View full-size slide

  2. Resumo:
    o O artigo contextualiza, define e operacionaliza o conceito de plataformização;
    o A partir de diferentes perspectivas acadêmicas sobre plataformas: estudos de
    software, economia política crítica, estudos de negócios e estudos culturais;
    o A plataformização é definida como a penetração de infraestruturas, processos
    econômicos e estruturas governamentais das plataformas digitais em
    diferentes setores econômicos e esferas da vida;
    o A plataformização também envolve a reorganização de práticas e imaginários
    culturais em torno dessas plataformas.

    View full-size slide

  3. O conceito de plataforma: as diferentes correntes
    o Os autores tratam da evolução da noção de "plataforma" até
    chegar no termo "plataformização";
    o Exemplificam com perspectivas de diversas áreas, como de
    negócios, comunicação e computacional;
    o São perspectivas diferentes, mas que se complementam:
    interesses e esforços de negócios para desenvolver mercados de
    dois lados auxiliam no desenvolvimento de infraestruturas de
    plataformas.

    View full-size slide

  4. O conceito de plataforma: as diferentes correntes
    “Assim, definimos plataformas como infraestruturas digitais
    (re)programáveis que facilitam e moldam interações
    personalizadas entre usuários finais e complementadores,
    organizadas por meio de coleta sistemática, processamento
    algorítmico, monetização e circulação de dados.” (p.03)

    View full-size slide

  5. (Re)definindo plataformização
    o A análise foi de "plataformas" como "coisas" para "plataformização" como "processos";
    o Para tratar de plataformização como uma ferramenta conceitual crítica, é importante
    combinar diferentes abordagens e compreensões:
    1. Estudos de software > essa linha de pesquisa é focada nas fronteiras das infraestruturas das
    plataformas, com suas histórias e evolução.
    2. Estudos na área de negócios > destacam os aspectos econômicos.
    3. Estudos em economia política crítica > destaca exploração do trabalho, vigilância e imperialismo.
    4. Estudos culturais > enfatizar a importância de considerar as práticas dos usuários baseadas em
    plataformas ao analisar a plataformização.
    o Embora essas quatro perspectivas nos forneçam diferentes focos e interpretações sobre
    plataformização, os autores argumentam que elas não são mutuamente excludentes.

    View full-size slide

  6. (Re)definindo plataformização
    “Seguindo pesquisas em estudos de software, na área de negócios e
    na economia política, compreendemos plataformização como a
    penetração de infraestruturas, processos econômicos e estruturas
    governamentais de plataformas em diferentes setores econômicos e
    esferas da vida. E, a partir da tradição dos estudos culturais,
    concebemos esse processo como a reorganização de práticas e
    imaginações culturais em torno de plataformas.” (p.05)

    View full-size slide

  7. Operacionalizando a plataformização: estudando o impacto das plataformas
    o Os autores propõem estudar três dimensões institucionais da plataformização como
    processos interativos que envolvem uma ampla variedade de atores, mas que também são
    estruturados por relações de poder fundamentalmente desiguais:
    1. Desenvolvimento de infraestruturas de dados > as plataformas digitais transformam em
    dados práticas e processos que historicamente escaparam à quantificação >> metadados
    comportamentais.
    2. Reorganização das relações econômicas em torno de mercados multilaterais > as
    plataformas constituem mercados bilaterais ou multilaterais, que funcionam como
    agregadores de transações entre usuários finais e uma grande variedade de terceiros.
    3. Governança > por meio de interfaces, algoritmos e políticas >> muitas vezes há confrontos
    com regras, normas e estruturas regulatórias locais.

    View full-size slide

  8. Considerações finais
    o A análise das três dimensões permite uma compreensão ampla do processo de
    transformação de um dos principais setores da sociedade e seus desafios;
    o É importante ir além dos focos específicos dos estudos de software, da área de negócios,
    da economia política e dos estudos culturais;
    o A plataformização só pode ser regulada de forma democrática e efetiva pelas
    instituições públicas se entendermos os principais mecanismos em ação nesse processo;
    o O desafio é integrar plataformas na sociedade sem comprometer as tradições vitais de
    cidadania e sem aumentar as disparidades na distribuição de riqueza e poder.

    View full-size slide

  9. Considerações finais
    “Uma investigação sistemática sobre as conexões entre as dimensões
    institucionais e culturais da plataformização é particularmente
    crucial, pois trará ao primeiro plano as correspondências e tensões
    entre, por um lado, infraestruturas das plataformas globais, arranjos
    de mercado e estruturas de governança e, por outro, práticas e
    instituições locais e nacionais.” (p.08)

    View full-size slide

  10. Obrigada! ;)

    View full-size slide