Minhas apresentações

Minhas apresentações

Descrição das minhas apresentações. Elas são semelhantes a histórias em quadrinhos, envolvendo diálogos entre meus personagens. Também exponho meus motivos para essa escolha e uma amostra de diálogo.

4acc58a03aa964e2f04b538836f2d468?s=128

Paulo Bordoni

August 17, 2014
Tweet

Transcript

  1. LNCC Minhas apresentações Prof. Paulo R. G. Bordoni UFRJ

  2. Apresentações envolvem escolhas pessoais. Primeiro apresentarei meus personagens. Eles são

    ingênuos. Depois exponho minha motivação.
  3. Galeria de personagens Meus filhos, nós teremos o maior prazer

    em ajudá-los! Ou não! Dona Dalva, minha Professora do Primário e eu, sem barba.
  4. Galeria de personagens O Surfista e a Loirinha. Sou impaciente

    e prático. Demorou, vou pegar uma onda! Eu pergunto tudo. Você, tem vergonha de perguntar?
  5. Galeria de personagens O Sherlock e o Manuel. E eu

    analiso tudo. Detalhadamente! Óh pá. Sou especialista em Manuais!
  6. Galeria de personagens O Filósofo. Vim da Magna Grécia, 400

    AC, a convite do Professor.
  7. As Python.

  8. Para troca de mensagens, usem professor@bordoni.info. O endereço do meu

    site é www.bordoni.info.
  9. É claro que o Mestre possui outros endereços. Entretanto, a

    troca de mensagens do curso está restrita ao que ele acabou de indicar! Acessem o site! Todo o material do curso estará lá.
  10. Agora meus motivos pessoais pela opção de apresentar assim o

    conteúdo de minhas aulas e cursos. A metodologia ...
  11. Ensinar/apreender envolve interação diferenciada entre os envolvidos. Uma aula não

    é um filme ou uma peça de teatro. Claro! Alunos não são plateia, nem nós somos atores.
  12. O diálogo é o diferencial. Nós apresentamos ideias. Conduzimos o

    curso das aulas. Nós perguntamos. E contamos com suas respostas!
  13. Essa será a costura das apresentações. As falas dos personagens

    levantarão perguntas. Irão explicitar e contrapor ideias e motivações subjacentes ao conteúdo.
  14. Dialética... Já ouvi afirmarem que a dialética é a arte

    de questionar, responder contrapor e concluir. Veja mais no Teeteto de Platão, Loirinha.
  15. À pg. 15 de “Conhecimento e linguagem: um estudo do

    Teeteto de Platão”, tese de mestrado de Zene, E. L., UFSM (2012).
  16. Nossas apresentações serão suaves e divertidas. Como estória em quadrinhos.

    Lembro-me de Ernesto Che Guevara : “Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás”.
  17. Escolhi ser Professor e tenho profundo respeito pelos meus alunos

    e pelo ato de ensinar. Bebês e crianças apreendem numa taxa altíssima. Brincando! Sim Mestra. Não sou mais criança, mas adoro jogar SimCity.
  18. Folheando um livreto da Casa do Saber descobri uma oferta

    de palestras e cursos interessantíssimos. Vá visitá-los. Identifiquei-me de imediato com a Declaração de Princípios e tomo emprestado os dois que destaco na próxima página. www.casadosaber.com.br
  19. POR UM SABER SEM DOGMAS O saber é um meio

    de aprimorar o ser humano: pressupõe o debate, o embate democrático e a diversidade de ideias. O que você pensa disso, Surfista?
  20. A linguagem e a metodologia devem ser claras, eficazes e

    facilitadoras de acesso e apreensão do conhecimento. A linguagem deve estimular a conversa, a curiosidade e o prazer da reflexão. POR UMA LINGUAGEM CLARA, ACESSÍVEL E RIGOROSA Achei isto perfeito, Mestre!
  21. EMPENHO, ENVOLVIMENTO Entretanto, vou cobrar de todos vocês a coisa

    mais básica: Ninguém aprende observando. A condição “sine qua non” para aprender é o envolvimento – arregaçar as mangas e fazer. Empenhe-se, faça, participe, pergunte, descubra, questione!
  22. Nem sempre optarei pelo caminho mais curto. Certo Surfista! No

    Fla-Flu de domingo, não vá ao Maracanã. Na 2ª te conto o resultado! Mas o que interessa é o resultado!
  23. Pois é ... Mas aí eu perco o prazer do

    espetáculo! Quando fui ao Louvre passei horas apreciando as obras de arte!
  24. E as metas da CAPES para produção e transmissão do

    conhecimento? Produtivismo! Como ocorrem as conexões mentais para a descoberta? Nosso “produto” é sofisticado. Mais ainda a “matéria-prima”.
  25. Um livro é um monólogo do autor. O diálogo a

    seguir é uma amostra do que virá.
  26. O processo de aprendizagem envolve empenho dos aprendizes. Alguns conceitos

    são mais difíceis outros mais fáceis. É, a curva de aprendizagem varia ao longo do tempo. E de pessoa para pessoa.
  27. Professora, o que é curva de aprendizagem? Minha filha, o

    Professor vai te explicar.
  28. tempo aprendizagem A(t) t Loirinha, uma curva de aprendizagem é

    uma descrição gráfica do processo de aprendizagem ao longo do tempo.
  29. tempo aprendizagem + rápida + lenta t0 t1 A inclinação

    da reta tangente mostra a velocidade de aprendizagem. Claro, a derivada! Apreendi em Cálculo I.
  30. Bem Loirinha, esse é um problema de modelagem na teoria

    do conhecimento. E como obtenho uma curva de aprendizagem?
  31. Tchau, até a próxima aula!