16 - UFAC - Mapeamento de Processos de Negócio como ferramenta de apoio ao Levantamento e Elicitação de Requisitos de Software

16 - UFAC - Mapeamento de Processos de Negócio como ferramenta de apoio ao Levantamento e Elicitação de Requisitos de Software

2e85d73d29b79f7b9224c94b3c250212?s=128

WTICIFES 2017 Recife

June 16, 2017
Tweet

Transcript

  1. Experiência de uso de Mapeamento de Processos de Negócio como

    Ferramenta de Apoio ao Levantamento e Elicitação de Requisitos de Software Fernanda V. Figueira, Levi Cacau, Alex Alves, Kemis Viana
  2. Sumário • Contextualização • Metodologia Utilizada • Características dos Processos

    • Considerações Finais
  3. Contextualização • Crescimento das demandas de desenvolvimento de sistemas. •

    Melhor qualidade dos softwares desenvolvidos. • Buscar alternativas para interagir da melhor forma com os clientes para identificar as suas reais necessidades e elicitar os requisitos dos softwares. • Necessidade de conhecer, documentar e melhorar os processos de negócio das áreas finalísticas da Universidade. • BPMN como uma abordagem viável de ser empregada. •
  4. Metodologia • Conhecer o PDS. • Definir novo PDS. •

    Incluir o mapeamento de processos no novo PDS: ◦ Documentar, analisar e otimizar os processos das áreas de negócio; ◦ Alternativa para interagir da melhor forma com os clientes para identificar as suas reais necessidades e elicitar os requisitos; ◦ Desmistificar o uso de BPMN na UFAC. • Aplicar BPMN em novos projetos de desenvolvimento de software. • Utilizar o mapeamento como guia nas reuniões de levantamento de requisitos. • Integrar a documentação dos processos com a documentação de análise e projeto do sistema.
  5. Figura 1: Processo de Software do NTI.

  6. Características do Processo de Software • Método de trabalho parecia

    cômodo e ágil para o cliente. • Série de falhas: funcionalidades incompletas ou inexistentes, falta de entendimento dos processos de negócio, alto número de erros no software e ausência de integração da base de dados do sistema produzido com a base de dados institucional. • Falta de participação ativa do cliente na etapa de levantamento e elicitação de requisitos e visão fragmentada do cliente em relação aos processos de negócio da Universidade. • Indefinição do escopo do software.
  7. Figura 2: Novo Processo de Software do NTI (parte 1).

  8. Figura 3: Novo Processo de Software do NTI (parte 2).

  9. • Antes de fazer análise e projeto do software, é

    feito o mapeamento do processo de negócio que será automatizado. • Mapeamento e Aprovação do modelo AS IS. • Análise do AS IS para gerar o modelo TO BE ◦ Análise dos pontos críticos do processo, considerando fatores como eficiência, pontos de gargalos e atraso no tempo de execução. • Mapeamento e Aprovação do modelo do TO BE. • Levantamento e Elicitação de Requisitos usando o TO BE como referência. ◦ Regras de Negócio ◦ Requisitos Funcionais e Não Funcionais Características do Novo Processo
  10. • Cada atividade do modelo TO BE é avaliada para

    identificar a possibilidade de automação e quando se confirma esta necessidade, ela passar a ser considerada como um ou mais requisitos funcionais, então se descreve os casos de uso para defini-la. • As regras de negócio e requisitos não funcionais começam a ser elicitados conforme o entendimento do processo de negócio e do futuro sistema são aprofundados. Características do Novo Processo
  11. Considerações Finais • Clientes ainda não têm visão sistêmica da

    organização e solicitam soluções de software setorizadas. • Mapeamento de Processo traz transparência e ajuda na gestão do conhecimento organizacional. • Além de facilitar o trabalho da equipe de análise de requisitos, pois ao mapear o processo, os clientes conseguem reconhecer os requisitos dos sistema com maior facilidade e corretude. • Melhor definição do escopo do software. • Novo Processo de Software tem trazido produtos com melhor qualidade e consequentemente maior satisfação do Cliente.
  12. Obrigada! contato: fernanda.figueira@ufac.br